Museus e Arte

“Mulheres argelinas em seus aposentos”, Eugene Delacroix - descrição da pintura

“Mulheres argelinas em seus aposentos”, Eugene Delacroix - descrição da pintura

Mulheres argelinas em seus aposentos - Eugene Delacroix. 180 x 229 cm

A pintura de mulheres argelinas foi de grande importância não apenas na obra da autora, mas também no mundo das belas-artes em geral, porque Matisse, Renoir e, é claro, Picasso criaram suas variações sobre esse tema inspirado nesta obra.

Delacroix escreveu o trabalho em 1834. O pintor viajou para o norte da África quando visitou um sultão (ex-capitão de frota) na Argélia. Não se sabe como, mas o sultão admitiu Delacroix no santo dos santos pelo modo de vida muçulmano - em seu harém. Obviamente, o harém causou uma ótima impressão no mestre!

Pode-se adivinhar que o artista romantizou significativamente a imagem do harém. O espectador vê quatro concubinas de diferentes nacionalidades (sabe-se que belezas de todo o mundo foram entregues ao harém). Suas poses são relaxadas e cheias de felicidade. Sentadas nos tapetes, as esposas do sultão apreciam a fumaça azeda de um cachimbo de água. A escrava de pele escura vai além da borda da tela - ao se separar, ela diz algo para as mulheres sentadas.

Os rostos das heroínas expressam emoções vagas - seja paz completa, nostalgia ou desejo, ou talvez tudo esteja em um cachimbo de água ... A atmosfera foi escrita com um cuidado especial para transmitir não apenas o sabor oriental, mas esse abafamento intangível da sala escravo alojado.

O trabalho expressivo de Delacroix surpreende com seu ritmo metropolitano - o tempo parecia parado na imagem, ou melhor, ninguém se importa. As próprias esposas, em sua lentidão e quietude, pareciam ter se tornado parte dessa sala em que passam o dia todo.

Sabe-se que uma vez em um lugar tão estranho para um europeu, Delacroix começou a pintar tudo em aquarela, mas o tempo era limitado, e o artista em seu caderno deixou descrições detalhadas das roupas das concubinas. Os pesquisadores observam que foi neste trabalho que o pintor começou a experimentar cores e tons que ele não havia usado antes.

É interessante que em 2008 o Louvre reuniu todas as mulheres argelinas em uma sala - a exposição foi coroada por Delacroix, o resto do harém pertencia a Picasso (o mestre criou 15 pinturas para esta história).


Assista o vídeo: DEPORTADA DA ARGÉLIA E DECEPCIONADA COM O BOY (Julho 2021).